A ex-presidente executiva da Hewlett-Packard Carly Fiorina anunciou, esta segunda-feira, que é candidata à nomeação republicana para candidata à Presidência da República dos Estados Unidos da América (EUA). A ex-CEO da empresa de novas tecnologias torna-se assim a única mulher entre os pré-candidatos republicanos à Casa Branca em 2016, quando do lado democrata a ex-primeira dama Hillary Clinton é a hiperfavorita, noticia a agência Reuters.

Se fisicamente as diferenças com a democrata Hillary Clinton não parecem muitas, a antiga diretora-executiva da Hewlett-Packard corre pelo lado oposto de Clinton. Carly Fiorina tem 60 anos e já venceu um cancro da mama, segundo o "The New York Times". Depois de vencer na vida, vencer na política parece ser o seu lema.

Uma das mulheres mais poderosas do mundo das novas tecnologias, Carly anunciou a pré-candidatura no programa da ABC News "Good Morning America".

"Sim, sou candidata a Presidente. Penso ser a melhor pessoa para este cargo uma vez que percebo como funciona a economia. Compreendo o mundo, quem está nele e como funciona”, defendeu Fiorina na ABC News.






Carly Fiorina nunca ocupou um cargo público, e nem o facto de as sondagens a colocarem no final de uma longa lista de mais de uma dezena de candidatos à nomeação republicana travou a intenção da ex-CEO da HP.

Carly Fiorina é acusada pelos críticos de não ter experiência política, apesar de uma candidatura falhada ao Senado em 2010.

O anúncio surge na véspera da apresentação do seu livro que deve revelar mais pormenores sobre a sua vontade de concorrer à Casa Branca.

Em 2005, Carly Fiorina foi forçada a demitir-se da HP num momento em que a empresa enfrentava problemas financeiros após a fusão com a Compaq.

E, como não há dois, sem três ou quatro, Ben Carson também deve fazer esta segunda-feira o anúncio da sua candidatura.