Polícia, bombeiros, equipa de intervenção. Em poucos minutos, um cenário de caos gerou-se no aeroporto JFK, em Nova Iorque, para responder a um código de sequestro no voo 1632 da JetBlue. Mas tudo não passou de um engano. 

Segundo conta a imprensa internacional, o piloto da companhia aérea JetBlue utilizou erradamente o código de sequestro através do seu rádio, que estava avariado.

Pouco antes da partida, o voo 1623 de Nova Iorque JFK para Los Angeles, teve um problema no rádio, que afetou a capacidade de comunicação da tripulação, e um falso alarme foi enviado para a torre do aeroporto", informa uma porta-voz da companhia aérea JetBlue num comunicado.

O voo 1623 que partia de Nova Iorque com destino a Los Angeles acabou por nem descolar e viu-se cercado de polícias e bombeiros da Autoridade Portuária e de membros da força de intervenção.

Os 158 passageiros que se encontravam dentro do avião foram obrigados pelas autoridades a permanecer com os braços no ar, mas alguns conseguiram registar o momento com fotografias que partilharam nas suas redes sociais.

Depois do piloto ter mostrado um papel com o seu contacto telefónico pessoal, de modo a conseguir explicar a situação, as forças de intervenção e os polícias no local rapidamente perceberam que tudo não passava de um “mal entendido”.

Sem haver comunicação estabelecida entre o piloto e os controladores do aeroporto, e com o código de sequestro ativado, as autoridades não tiveram outra opção que não assumir que aquele avião estava mesmo a ser sequestrado.

 O avião foi inspecionado e ficou tudo esclarecido sem ameaça de segurança”, disse uma porta-voz da autoridade portuária ao The New York Post.

A Administração Federal de Aviação está a investigar o incidente.

Foi pedido à tripulação do avião que retornasse à rampa. A Administração Federal de Aviação vai investigar", afirma um porta-voz da Autoridade Portuária em comunicado.