O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, acusou hoje a Rússia de «permitir» ao Presidente da Síria, Bashar al-Assad, permanecer no poder, depois de a segunda ronda de negociações de paz ter terminado no sábado sem avanços.

«O regime obstruiu, não fez mais do que continuar a bombardear o seu próprio povo com barris de explosivos e a destruir o seu próprio país. E eu lamento ter de dizer que ele o fez com o apoio do Irão, do Hezbollah e da Rússia», disse numa conferência de imprensa em Jacarta.

«A Rússia deve fazer parte da solução em vez de fornecer ainda mais armas e ainda mais ajudas (ao regime sírio) para favorecer Assad», acrescentou.