Cedella Roman, uma jovem francesa, de 19 anos, foi visitar a mãe a Columbia Britânica, no Canadá, e acabou detida por agentes da Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos da América quando decidiu sair para correr na praia à noite.

O incidente aconteceu em maio. Sem se aperceber, a jovem ultrapassou a fronteira entre o Canadá e a cidade norte americana Blaine, que fica no estado de Washington, enquanto corria.

Quando a maré subiu, Cedella decidiu seguir um caminho alguns metros acima da linha do mar e parou para tirar uma fotografia antes de prosseguir. Foi no momento a seguir, enquanto caminhava, que foi abordada por agentes da Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos da América.

“Eles começaram a dizer que eu tinha cruzado ilegalmente a fronteira e eu disse que não tinha feito aquilo de propósito”, contou a jovem à estação de televisão CBC.

A jovem inicialmente pensou que iria receber um aviso ou, no pior dos cenários, uma multa. Quando se apercebeu que estava sem identificação,teve noção da gravidade da situação.

"Pediram-me que tirasse todos os meus pertences pessoais e revistaram-me da cabeça aos pés. Foi quando percebi que o que estava a acontecer era grave e comecei a chorar”, detalhou a jovem.

Cedelle Roman acabou detida no Centro de Detenção de Tacoma Northwest, localizado a mais de 200 quilómetros do local onde foi encontrada, destinado a imigrantes ilegais e só várias horas após a detenção é que pode contactar a mãe.

Ao ter conhecimento da situação, Christiane Ferne rapidamente se deslocou até ao Centro de Detenção com os documentos de identificação da filha, mas não conseguiu com que esta fosse libertada. 

Cedella teve então de esperar 15 dias até que as autoridades canadenses confirmassem que ela poderia voltar. 

“Estávamos sempre trancados. O pátio estava vedado por arame farpado e cercado de cães”, disse Cedelle numa entrevista à agência de notícias AFP.

A CBC conseguiu ter acesso a documentos do Serviço de Imigração e do Controlo de Alfândega dos Estados Unidos da América, que comprovam que Cedella Roman esteve detida e que regressou ao Canadá no último dia 6 de junho.

Um porta-voz do Departamento de Alfândega e Controlo de Fronteiras dos EUA referiu num comunicado que qualquer pessoa que entre no país sem ser por entradas oficiais viola a lei pode ser processado.

Segundo o comunicado, “a regra aplica-se, inclusive, a quem afirma ter cruzado inadvertidamente a fronteira.