Uma norte-americana foi encontrada com vida depois de 42 anos sem ser conhecido o seu paradeiro. A família, que a considerava morta, uma vez que achavam que o corpo da mulher tinha sido descoberto no ano seguinte ao seu desaparecimento, ficou surpresa com a descoberta.

Lula Ann Gillespie-Miller, atualmente com 69 anos, saiu de casa quando tinha 28 anos e deixou para trás quatro filhos. Tammy Miller, que tinha na altura três anos, acabou por ser criada pela avó adotiva e, segundo a revista People, sente-se rejeitada, não tendo visto com bons olhos o reaparecimento da mãe.

Fico contente que ela esteja viva, mas magoa-me saber que tudo isto foi uma escolha sua”, afirmou a filha agora com 45 anos, divorciada e mãe de quatro filhos.

Quando a Lula Ann desapareceu, em 1974 no estado do Indiana, a família informou as autoridades e durante algum tempo ainda alimentou a incerteza do que poderia ter acontecido. No ano seguinte, foi descoberto o corpo de uma mulher, em Richmond, cuja identidade ficou por desvendar mas acabou por ser atribuída à mulher desaparecida no Indiana. Recentemente, a polícia reviu o caso e descobriu que Lula Ann vive numa pequena cidade do Texas, com outro nome.

Acreditamos que ela tem vivido com outras identidades e que tenha contraído casamento algumas vezes com nomes diferentes”, afirmou o sargento John Bowling, do departamento policial do Indiana.

Quando descobriu o paradeiro de Lula Ann, a polícia entrou em contacto com a filha, Tammy Miller, para lhe comunicar que os testes de ADN tinham permitido encontrar a sua mãe. Mas a história que tinha tudo para ter um final feliz, não correu como nos contos.

Na passada sexta-feira, Tammy falou com a mãe por telefone e ficou sem palavras. Segundo o relato da filha à revista norte-americana, a conversa terá durado pouco mais de dois minutos.

“Ela disse, volto a ligar quando tiver preparada para falar”, explicou Tammy que também adiantou não ter muita vontade de voltar a falar com mãe. “Não voltarei a ligar-lhe. Sinto que fui rejeitada vezes sem conta”

Historial de álcool, depressão e violência

Tammy Miller explicou que a mãe não soube lidar com a pressão de alguns acontecimentos trágicos ao longo da vida. A morte precoce de um marido num acidente de viação, o consumo excessivo de álcool e uma experiência de agressões e violação, em 1974, terão ditado o desaparecimento de Lula Ann.

Os filhos da mulher reaparecida cresceram no Indiana aos cuidados da avó do pai dos seus três meios-irmãos de Tammy. A filha, que falou à imprensa, relativiza o aparecimento da mãe, e garante que continuará a trabalhar e a viver no Indiana com os seus quatro filhos, ainda que admita sentir-se mais aliviada por ter respostas sobre a mãe que desconhece.

“Vou ter uma vida maravilhosa. Ela foi embora mas sei que a culpa não foi minha, foi ela quem perdeu”