Duas pessoas nos EUA, já acusadas dos crimes de abuso sexual de menores, tortura e mutilação, podem agora enfrentar também acusações de homicídio depois de duas crianças terem sido encontradas mortas num armazém na Califórnia do norte, informa a polícia da cidade de Redding.

O tenente Pete Brindley, em declarações à KSBW, uma estação de televisão afiliada da CNN, revelou esta terça-feira que os corpos foram descobertos quando as autoridades investigavam o abuso de uma terceira criança.

As duas crianças falecidas eram irmãs e tinham entre três e cinco anos. A terceira criança foi submetida a uma cirurgia e está internada num hospital em Sacramento, afirmou o mesmo responsável.

Tami Joy Huntsman, de 39 anos, e Gonzalo Curiel, de 17, ambos naturais de Quincy, estão detidos na cadeia do condado californiano de Plumas.

A polícia desconhece para já qual é a ligação entre as crianças e Huntsman e Curiel. Os resultados da autópsia vão ser divulgados em breve e deverão ajudar a clarificar alguns pontos, acrescentou o tenente Brindley.

Na sexta à noite, o Departamento do Xerife do Condado de Plumas recebeu uma chamada a denunciar um possível caso de abuso de menor ou de negligência em Quincy. Quando as autoridades chegaram ao local, encontraram uma criança ferida com gravidade. Huntsman e Curiel foram presos e os agentes do condado informaram a polícia de Redding de que poderia haver duas crianças num armazém sob sua jurisdição.

Uma patrulha dirigiu-se de imediato para o local, encontrou o armazém e, porque havia vidas em jogo, rebentou a fechadura da porta, explicou Pete Brindley. O tenente recusou-se depois a dar detalhes sobre a cena de crime com que os agentes se depararam quando abriram o armazém.