A história é sombria e perversa, está cheia de elementos sórdidos e teve lugar no estado norte-americano de Alabama, mais concretamente na localidade de Mobile. Durante seis anos, 11 membros de uma família e alguns amigos alimentaram um círculo de pedofilia e de incesto e terão abusado de entre 11 a 16 crianças.

Um membro do Ministério Público envolvido na acusação afirmou ao «Daily Mail» que a rede de pedofilia era o produto de gerações de relações incestuosas – em que os agressores se tinham vindo a tornar criminosos, num ciclo só finalmente interrompido pelas autoridades.

Os acontecimentos tornaram-se públicos após o desaparecimento de Brittney Wood, de 19 anos, no dia 30 de maio de 2012. Naquele dia, a jovem foi vista pela última vez com o tio, Donnie Holland, de 50 anos, que estava prestes a responder em tribunal pela acusação de agressão sexual. Mas a família encontrou o corpo do homem no próprio carro.

Donnie Holland foi morto com um tiro atrás da cabeça. No carro, com ele, tinha o revólver e o telemóvel da sobrinha. A polícia concluiu que ele se suicidou, ainda que o ferimento de bala atrás da orelha implicasse um anglo de tiro inusitado. As autoridades acreditam que a sobrinha de Holland, Brittney Wood, está morta, mas o corpo da jovem não foi encontrado.

A estratégia da acusação baseava-se no testemunho de Brittney Wood para obter condenações em tribunal, mas, mesmo na ausência da jovem, dois tios e o irmão mais velho declararam-se culpados de acusações de agressão sexual. A mãe da desaparecida, Chessie Wood, e duas tias aguardam julgamento por sodomia e outras agressões sexuais.

Inação «incompreensível» dos serviços sociais

Quanto mais as autoridades investigam o caso, mais surpreendidas se mostram com a falta de ação dos serviços sociais. A família Wood foi objeto de várias queixas de abuso sexual durante seis anos. Em 2008, uma criança da família acusou um tio de abuso sexual, mas os serviços sociais fizeram pouco caso.

Os investigadores calculam que 11 a 16 crianças de 3 ou 4 anos foram abusadas sexualmente. Essas crianças foram agredidas durante orgias cheias de drogas e álcool, que costumavam acontecer depois dos churrascos familiares que Donnie Holland organizava com frequência.

Três gerações vítimas de abusos sexuais

As autoridades acreditam que a pedofilia e o incesto afetaram três gerações da família. Os abusos começaram a partir da união entre Donnie Holland e Wendy Wood, a irmã de Chessie Wood, mãe de Brittney.

Era Donnie Holland quem organizava a rede de pedofilia. O homem chamava os outros homens do círculo, dizendo: «Tenho um adulto e uma criança disponíveis para a ação».

Brittney Wood tem uma filha de dois anos. Quando criança, Brittney foi agredida sexualmente pelo padrasto. A rapariga tomou drogas e andava sempre com uma arma para proteção. A polícia deu pela falta dela após a morte do tio e foi aí que as acusações começaram a chover.

A gravidade das punições para 11 elementos da família Wood e alguns amigos íntimos, acusados em tribunal e alguns até já condenados, não importa muito. O irreparável já aconteceu para muitas crianças.