Cuba libertou esta terça-feira diversos presos políticos incluídos numa lista que os Estados Unidos entregaram a Havana numa decisão que confirma o início da aproximação diplomática entre os dois países, disse o Departamento de Estado.

«Já foram libertados alguns desses prisioneiros», declarou a porta-voz da diplomacia norte-americana, Jennifer Psaki, sem precisar o número de detidos abrangidos e incluídos numa lista de 53 nomes que Washington submeteu a Havana.

«Queríamos evidentemente que isso fosse concluído o mais cedo possível», insistiu a responsável.

Barack Obama e Raul Castro anunciaram em meados de dezembro o restabelecimento de relações entre os dois países. Cuba libertou o norte-americano Alan Gross, que estava detido há quatro anos, acusado de espionagem, e, em troca, os Estados Unidos libertaram três cubanos, também detidos sob acusação de espionagem. Foi o primeiro passo para quebrar o gelo que durou décadas nas relações entre os dois países.