Um tribunal de Pequim condenou hoje o ativista político Xu Zhiyong, fundador do movimento civil «Novo Cidadão», que pede a transparência do governo, a quatro anos de prisão por «perturbação da ordem pública».

A sentença foi lida pelo Tribunal Intermédio Número Um de Pequim, três dias depois do início do julgamento, durante o qual Xu se manteve em silêncio em protesto contra as condições em que estava a ser julgado.

O tribunal não deixou Xu convocar as testemunhas que pretendia e o julgamento foi feito à porta fechada e sob um forte controlo policial.

EUA «profundamente desiludidos» com prisão

Entretanto, os Estados Unidos manifestaram-se «profundamente desiludidos» com a prisão do ativista político chinês Xu Zhiyong.

«Apelamos às autoridades chinesas para libertarem imediatamente Xu e outros prisioneiros políticos, para acabarem com as restrições à sua liberdade de movimentos e para garantir-lhes a proteção e as liberdades a que têm direito sob os compromissos internacionais da China em matéria de direitos humanos», disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, citada em comunicado.