Bradley Manning, o soldado norte-americano acusado de transmitir vários milhares de documentos secretos ao portal WikiLeaks, foi considerado culpado pela justiça militar de violar a Lei de Espionagem, mas não de «conluio com o inimigo».

Manning, de 25 anos, foi considerado culpado de violar a Lei de Espionagem, criada em 1917 para julgar espiões e traidores, por ter transmitido dados relativos às guerras do Iraque e do Afeganistão e milhares de documentos diplomáticos norte-americanos.

A sentença será conhecida nos próximos dias.

De acordo com a página de Julian Assange no Twitter, o veredicto pronunciado contra Bradley Manning ilustra um «perigoso extremismo da administração Obama».

«Manning arrisca 136 anos de prisão por atas de acusação de que foi hoje reconhecido culpado. Perigoso extremismo, em matéria de segurança nacional, da administração Obama», considera o WikiLeaks.