As violências e conflitos, sobretudo na Síria e na Ucrânia, levaram 38 milhões de pessoas a abandonar as suas casas e a deslocar-se no próprio país, segundo um relatório publicado por uma organização norueguesa.

De acordo com o estudo da organização não-governamental Observatório das Situações de Deslocação Interna (IDMC, sigla em inglês), este é um número recorde, equivalente às populações totais de Nova Iorque, Londres e Pequim.

"Estes são os piores números de deslocações forçadas numa geração, mostrando o nosso completo fracasso na proteção de civis inocentes", declarou Jan Egeland, secretário-geral do Conselho para os Refugiados Norueguês (NRC), do qual depende o IDMC.