Especialistas em terrorismo consideram que o grupo Estado Islâmico não organizou os recentes ataques na Europa, mas fez as reivindicações para reforçar a sua imagem.

O atentado com um camião de há uma semana em Nice, França, ou ataque com um machado num comboio na Alemanha “ajudam a criar um clima de medo e reforçam a ideia de que o Estado Islâmico continua uma força poderosa, apesar de perdas territoriais” no Iraque e na Síria, disse à agência noticiosa francesa AFP Aymenn al-Tamimi, especialista sobre o jihadismo do grupo de reflexão Middle East Forum.

“A maneira como o Estado Islâmico reivindicou estes ataques sugere a ausência de implicação operacional direta”, afirmou al-Tamimi.