Donald Trump comentou, esta tarde, o número de mortos em Porto Rico devido a furacões e acusou os democratas de o inflacionarem para prejudicarem a sua imagem.

Não morreram 3.000 pessoas nos dois furacões que atingiram Porto Rico. Quando saí da ilha, depois da tempestade passar, eles tinham entre 6 e 18 mortos. Conforme o tempo passou não aumentou tanto. Depois, muito tempo depois, eles começaram a reportar números muito grandes, como 3000...", escreveu no Twitter.

 

Um balanço feito pelo governador de Porto Rico, em agosto, indicava 2.975 mortos, depois dos primeiros números apontarem apenas 64 mortos.

Isso foi feito pelos democratas para fazer com que eu parecesse o pior possível, quando eu estava a levantar mil milhões de dólares para ajudar a reconstruir Porto Rico. Se uma pessoa morreu por qualquer razão, como idade avançada, simplesmente eles adicionaram à lista. Políticos maus. Eu amo Porto Rico!", concluiu o presidente norte-americano.

O furacão começou em 2017, mas os ventos fortes e tempestades apenas acabaram em fevereiro deste ano. Trump considerou a operação de salvamento um sucesso, o que criou polémica de imediato. Já antes, Trump tinha sido criticado por políticos locais por ter demorado a conceder a ajuda federal a Porto Rico em comparação com a rapidez que deu à Flórida e ao Texas, atingidos pouco antes pelos furacões Harvey e Irma.