A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou um acordo orçamental para pôr fim à segunda paralisação de serviços da administração (‘shutdown’) em três semanas, em vigor desde a meia-noite.

A câmara baixa do Congresso adotou o acordo às 05:30 locais (10:30 em Lisboa), com 240 votos a favor e 186 contra.

O texto, que tinha sido aprovado no Senado às primeiras horas da madrugada, prolonga até 23 de março o financiamento da administração federal.

O acordo orçamental, de 400 mil milhões de dólares (326,6 mil milhões de euros), tem ainda de ser promulgado pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

As votações deviam ter sido feitas na quinta-feira, antes do ‘shutdown’, às 00:00, mas foram bloqueadas pelo senador republicano Rand Paul, contrário ao aumento significativo da despesa pública e do teto de endividamento.

É a segunda vez em três semanas que há uma paralisação parcial das instituições do Estado federal (“shutdown”) que, sem financiamento, não dispõe de dinheiro e tem de pôr “tecnicamente” no desemprego centenas de milhares de funcionários públicos, dos serviços fiscais aos parques nacionais.

A Administração Trump viveu o seu primeiro “shutdown” a 20 de janeiro deste ano - exatamente um ano após a investidura de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos -, por falta de acordo sobre o orçamento. Durou três dias.

A paralisação poderá, portanto, ser de breve duração, mas é ilustrativa da polarização dos senadores e congressistas, depois de a proposta ter recebido o apoio dos líderes republicanos e democratas das duas câmaras parlamentares.