Tirou uma arma de fogo de uma mala e desatou aos tiros no aeroporto de Fort Lauderdale, na Florida, Estados Unidos. Matou pelo menos cinco pessoas e terá ferido mais de uma dezena. O homem que provocou o terror, esta sexta-feira, no Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale tem 26 anos e foi identificado como Esteban Santiago, pelo senador Bill Nelson.

De acordo com o xerife de Broward County, Scott Israel, Santiado será um “extremista violento caseiro”, que segue grupos terroristas nas redes sociais.

A mesma fonte, em declarações aos jornalistas, sublinha que as autoridades não acreditam que Santiago tenha uma ligação direta e concreta com grupos terroristas. Será apenas um “simpatizante” em “busca de atenção” para as atividades daqueles grupos. O FBI vai prosseguir com as investigações para confirmar as ligações do homem com o terrorismo.

Bebé nascido em setembro

Esteban Santiago viajou num voo da Canadian Airlines e fez check in de uma arma. As regras de segurança dos transportes aéreos, nos Estados Unidos, permitem o transporte de armas e munições, desde que seja feito num contentor lacrado. Os passageiros têm de declarar o transporte da arma quando fazem o check in.

De acordo com uma tia de Esteban, o homem estava com problemas de saúde. Depois de uma passage pelo Iraque, Esteban foi para Porto Rico à procura de trabalho. Por essa altura, o pai morreu.

O homem viajou para o Alasca, nos Estados Unidos, onde trabalhava como segurança. Foi já em solo americano que conheceu uma jovem com quem passou a viver e de quem tinha um bebé nascido em setembro.

Identificação militar

De acordo com a edição online do jornal Orlando Sentinel, Esteban retirou a arma de uma mala que tinha sido submetida a check in, trancou-se numa casa de banho e carregou-a. Começou a disparar ainda na casa de banho.

As informações são contraditórias, mas vários órgãos de informação dos Estados Unidos estão a avançar que Esteban Santiago tinha consigo uma identificação militar.

Um porta-voz do Exército norte-americano recusa-se a confirmar se o homem tinha pertencido ou não à corporação. Mas, de acordo com a ABC News, que cita o Comando de Investigação Criminal do Exercito norte-americano, Esteban Santiago foi “honrosamente dispensado” do Exército em 2016.

Esteban Santiago, que foi detido logo após o tiroteio, era de Nova Jérsia, mas tinha ligações a Anchorage, no Alabama.