Morreu Carol Doda, a legendária stripper da cidade de São Francisco, Estados Unidos da América, cujo comportamento irreverente a levou a tornar-se pioneira na realização de espetáculos em topless, há mais de 50 anos.

Carol tinha 78 anos e faleceu esta quarta-feira na cidade vítima de complicações de uma insuficiência renal, revelou um amigo da dançarina.  

Carol apresentou-se pela primeira vez em topless em 1964, no Condor Club, atitude que acabou por revolucionar a noite da movimentada Broadway de São Francisco.

A stripper atingiu o auge da carreira na década de 1970, altura em que a noite em North Beach elouquecia com mais de duas dezenas de clubes noturnos, onde não faltavam dançarinas com os seios à mostra.

"Ela era muito mais do que uma dançarina. Era extremamente carinhosa e estava sempre disposta a dar um conselho.”, disse Dick Winn, uma amiga de longa data. 


A era durou cerca de 20 anos. Carol Doda nunca casou e não teve filhos.