O Presidente do Senado francês criticou em Teerão a nova política norte-americana de atribuição de vistos, que penaliza os europeus com nacionalidade de alguns países do Médio Oriente que estão no Irão, considerando que envia “um mau sinal”.

Os turistas de 38 países, incluindo 30 europeus, deixam de poder entrar sem visto nos Estados Unidos se forem viajantes ligados à Síria, Iraque, Sudão e Irão, segundo uma lei adotada na sexta-feira pelo Congresso norte-americano e promulgada pelo Presidente Barack Obama.
 

“O certo é que isso pode ser percebido aqui (em Teerão) como uma marca de desconfiança e, para nós, não é sem dúvida uma iniciativa (…) que se inscreve na cultura da confiança a construir” com o Irão, disse Gérard Larcher, na noite de segunda-feira, aos jornalistas, no âmbito de uma visita de três dias.