Os ataques mortais em Bagdad reforçam a vontade dos Estados Unidos de “acelerar” a ofensiva contra o grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria, mas sem mudar a estratégia da coligação, disse hoje o Pentágono.

“Foi claramente um ataque devastador e uma lembrança dolorosa das capacidades mortais do Estado Islâmico”, disse o porta-voz do Pentágono, Peter Cook.

“Mas isso não muda a estratégia, que é a de combater o grupo extremista no Iraque e na Síria a ritmo acelerado, de forma tão agressiva quanto possível, para tentar limitar a sua capacidade”, acrescentou.