O governo do Colorado, nos EUA, decretou estado de emergência, seis dias depois da contaminação do rio Animas com material tóxico proveniente de uma mina abandonada, que tornou a água amarela. Os especialistas afirmaram que os resíduos continham chumbo, alumínio e arsénico, prejudiciais para a saúde pública.

A população do Colorado está revoltada com a situação, uma vez que a responsável pela catástrofe ecológica foi a Agência de Proteção Ambiental. A própria organização já veio a público assumir que foram depositados no rio 4 milhões de litros de águas residuais, três vezes mais do que o valor primeiramente estimado.

O governador do Estado, John Hickenlooper, assegurou que, por causa do estado de emergência, será atribuído um fundo no valor de 500 mil dólares para reverter a situação e ajudar as pessoas e as empresas afetadas na região.

“Vamos trabalhar com a Agência de Proteção Ambiental para avaliar a qualidade da água, até que tudo volte ao normal, mas também para reabilitar outras minas abandonadas no nosso estado, evitando que a situação se repita”, afirmou o governador.


O derrame de resíduos tóxicos teve lugar no dia 5 de agosto, quando as autoridades ambientais tentavam drenar e tratar a água de uma mina abandonada. O rio está agora interdito aos cerca de 17.500 habitantes da região.