O Presidente norte-americano, Barack Obama declarou o estado da Virgínia "zona de desastre", depois das fortes cheias e chuvas que fizeram mais de 20 mortos nos últimos dias.

Obama "ordenou o envio de ajuda federal suplementar" para a região, no sentido de apoiar os trabalhos de recuperação das zonas afetadas pelas "severas tempestades, cheias, desmoronamentos e deslizamentos de terras", informou a Casa Branca, num comunicado.

Pelo menos 24 pessoas morreram e mais de 21.300 estão sem eletricidade por causa dos temporais que atingiram a Virgínia Ocidental nos últimos dias.

As equipas de resgate continuam os trabalhos, respondendo a todas as emergências. Só as cheias que atingiram a região em 2010 foram mais mortais. Na altura, 27 pessoas perderam a vida no Tennessee, Kentucky e Mississippi.

O maior volume de chuva foi registado sábado e as autoridades pediram às populações para limparem os detritos e ajudarem na remoção de grandes objetos que estejam a obstruir as estradas e linhas ferroviárias.

Segundo a CNN, pelo menos até segunda-feira, não se espera chuva na zona.

Para responder às necessidades das pessoas mais debilitadas, as autoridades estão a fornecer medicamentos, referiu o porta-voz do gabinete do Xerife de Kanawaha.

O presidente Obama chamou o governador da Virgínia, Earl Ray Tomblin, para delinear um plano de ajuda. O estado foi declarado uma zona de “grande desastre” e foi cedido financiamento extra aos três municípios mais atingidos: Kanawha, Greenbrier e Nicholas.

O governador Tomblin já tinha destacado 200 membros da Guarda Nacional para ajudar os oito municípios e irá, agora, chamar mais 100. Foram também particularmente atingidas as cidades de Elkview, Clendenin e Frame.