O número de mortos no atentado contra uma minoria curda no nordeste da Síria, na sexta-feira, aumentou para 45, entre os quais cinco crianças e várias mulheres, revelou este sábado o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

De acordo com a EFE, a organização não-governamental referiu que o número de mortos é provisório, porque se constata a existência de restos de seres humanos que não foram dados como falecidos, além de muitos feridos no atentado apresentarem um estado grave.

O atentado na cidade síria de Al Hasaka, quando se celebrava a festa de Noruz, foi condenado pelo secretário-geral das Nações Unidas, também na sexta-feira, com Ban Ki-moon a exigir a todas as partes envolvidas no conflito que «parem de utilizar indiscriminadamente armas contra as zonas povoadas».

De acordo com o Observatório dos Direitos Humanos Sírio, pelo menos 70 militares do regime sírio foram mortos nos três últimos dias numa ofensiva do grupo autointitulado Estado Islâmico no leste das províncias de Homs e Hama.