"Trabalhamos com os nossos aliados para destruir esta ameaça e vamos à procura dos terroristas no seu território, onde planeiam matar cidadãos britânicos, ou nos sentamos e esperamos que nos ataquem?".


Jeremy Corbyn, e 67 decidiram apoiar a ação militar, aproveitando a liberdade de voto concedida pelo líder do Labour. O Reino Unido vai assim juntar-se à França e aos Estados Unidos na aliança para combater o Estado Islâmico na Síria.

Numa autêntica maratona, Corbyn