Um adolescente britânico de 15 anos foi condenado, esta sexta-feira, a prisão perpétua por ter incentivado um jovem de 18 anos a cometer um ato terrorista em Melbourne, Austrália, que não foi concretizado.

O tribunal de Manchester determinou que o menor terá de receber ajuda para abandonar a sua ideologia extremista, bem como cumprir cinco anos de prisão efetiva, antes que a sentença possa ser revista.

O rapaz, que não pode ser identificado por razões legais, tentou convencer Sevdet Besim a matar polícias durante as comemorações do final da primeira guerra mundial no dia de Anznac (que lembra todos os australianos e neozelandeses que morreram em guerras). 

O adolescente, na altura com 14 anos, terá trocado cerca de 3.000 mensagens com Besim e terá até sugerido que Besim experimentasse decapitar alguém, antes do atentado. 

“No dia 18 de março de 2015, como parte dos preparativos, o arguido enviou a seguinte mensagem a Sevdet Besim: ‘sugiro que entres em casa de alguém e faças a tua primeira decapitação’”. 


Besim terá respondido que seria “um pouco arriscado”. 

Segundo os media britânicos, trata-se do mais jovem condenado britânico por um crime ligado ao terrorismo.