A justiça espanhola libertou esta quinta-feira um galego detido na quarta-feira por vender em Espanha e para Portugal camisolas com emblemas jihadistas e com fotos de atentados protagonizados pelo auto-denominado Estado Islâmico (EI).

O juiz da Audiência Nacional Santiago Pedraz libertou o detido, mas este ficou proibido de sair de Espanha e está obrigado a comparacer semanalmente perante as autoridades. O homem galego, cuja identidade ainda se desconhece, foi detido na quarta-feira em Narón (Corunha, Galiza, Noroeste de Espanha), foi hoje ouvido em tribunal e foi acusado do crime de "humilhação às vítimas do terrorismo".

Uma das camisolas que o galego vendia pessoalmente e pela Internet mostra a imagem [divulgada na altura pelos meios de comunicação social] de um refém britânico, Alan Henning, prestes a ser executado [degolado] por um elemento do EI e uma bandeira do grupo. Outras camisolas estão estampadas com símbolos e "slogans" do grupo extremista.