Uma jovem de 19 anos foi intercetada pelos serviços de estrangeiros na fronteira de Tanger, em Marrocos, na quarta-feira, quando transportava um trolley que levantou suspeitas às autoridades.


Foto: EPA/LUSA

A mulher não queria colocar a mala no scanner, mas, acabou por ser forçada a fazê-lo.

As autoridades pensavam que Fátima levava droga na mala. No entanto, o scanner detetou um corpo humano. Um menino de oito anos, da Costa do Marfim, dobrado dentro da mala. Não conhecia Fatima sequer, o “correio” pago para transportar a mala.


Foto: EPA/LUSA

O pai do menino também atravessou a fronteira, uma hora depois, sem saber que o filho, afinal, tinha sido detetado pelos serviços de imigração, como conta o El País.