Norbert Feher, Igor Vaclavic ou, apenas, “Igor, o Russo”, um dos fugitivos mais procurados de Itália, foi detido nesta madrugada em Espanha. Horas antes tinha matado três pessoas, entre elas dois agentes da Guardia Civil.

No momento da detenção não ofereceu resistência, segundo as autoridades. O próprio ter-se-á resignado à ironia do destino: foi detido numa estrada de Teruel, Aragão, próximo de Andorra, depois de sofrer um acidente de carro. Fugia da polícia mas não estava a ser perseguido.

As impressões digitais recolhidas pelas autoridades espanholas confirmaram a identidade, as três armas com que foi apanhado indicaram que se tratava do homem certo: dois dos revólveres foram roubados aos agentes da Guardia Civil assassinados.

“Igor, o Russo”, ex-militar sérvio, especialista em tiro e artes marciais, procurado em Itália por três homicídios, foi detetado em Espanha por acaso. Os agentes da Guardia Civil, acompanhados por uma terceira pessoa, procuravam um homem, de nacionalidade romena, que assaltava casas abandonadas na zona, quando se depararam com o fugitivo sérvio. Considerado perigoso e violento, disparou sem hesitar sobre dois polícias, de 30 e 38 anos, que, apesar de envergarem coletes à prova de bala, foram surpreendidos pela rapidez do suspeito. 

Feher estava escondido numa dessas habitações rurais quando abriu fogo sobre os três, que morreram ali. Roubo as armas e fugiu numa carrinha, segundo fontes policiais citadas pela imprensa espanhola.

Acabou por despistar-se durante a fuga. Estava a monte desde abril e o seu retrato-robô tinha chegado, inclusive, à polícia portuguesa.