Não é certo que seja uma "maioria", mas os críticos da Indepedência da Catalunha proclamam que os independentistas não são a maioria na região. Depois do referendo de dia 1 de outubro, marcado por violentos protestos, muitos lembraram que a "maioria" não votou, ficou silenciosa, e ainda que defenda a independência, não se revê na condução deste processo. Este domingo, foi esta "maioria" que saiu à rua para pedir uma Espanha Unida. Certo é que foram milhares os que saíram à rua no centro de Barcelona.

A manifestação foi convocada pela "Societat Civil Catalana", em defesa da Espanha unificada, o mesmo pedido feito em Paris por manifestantes com bandeiras nacionais espanholas.

Na principal cidade da Catalunha, na praça Urquinaona, o lema da iniciativa é "Basta! Recuperemos a sensatez", e uma hora e meia antes do início previsto da marcha, já chegavam pessoas para participar no cortejo até à avenida em frente da estação de Francia, onde será lido um manifesto.

As manifestações ocorrem dois dias antes da deslocação do presidente da Generalitat, Carles Puigdemont, ao parlamento com uma declaração de independência da Catalunha em cima da mesa, após a realização de um referendo considerado ilegal.

Este sábado, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, garante que Madrid impedirá que uma eventual declaração de independência da Catalunha produza quaisquer efeitos. Mariano Rajoy asseverou-o numa entrevista El País, publicada este domingo. 

"O Governo vai impedir que qualquer declaração de independência leve ao que quer que seja”.