A autópsia do pequeno Gabriel revelou que o menino terá sido estrangulado no próprio dia em que desapareceu. De acordo com fontes ligadas à investigação e citadas pelos jornais espanhóis, o o corpo do menino de oito anos tinha vestígios de terra quando foi encontrado na bagageira do carro da madrasta, este domingo.

A madrasta de Gabriel foi sujeita este domingo aos primeiros interrogatórios policiais, nas instalações da Guardia Civil, em Almeria. Os motivos da mulher permanecem uma incógnita, mas as provas forenses podem ajudar a deslindar o que aconteceu a 27 de fevereiro, quando o menino desapareceu, depois de deixar a casa da avó para ir brincar com uns primos, a pouco mais de 100 metros.

A polícia está agora a passar a pente fino o passado da madrasta de Grabiel e descobriu que uma menina que morreu depois de cair de uma janela, quando estava aos cuidados de Ana Julia Quezada, há 22 anos, era afinal sua filha.

Patricia Ramírez, a mãe de Gabriel já veio a público pedir que parem as mensagens de ódio contra a mulher que terá morto o próprio filho."Não quero que tudo termine com a raiva que esta mulher demonstrou ter. Gabriel não o merece”, disse, numa entrevista a um programa de rádio.