O presidente catalão, Artur Mas, considerou este domingo a jornada de participação um «êxito total», um dia «inesquecível na história da Catalunha» em que mais de dois milhões de pessoas deram um «passo de gigante» para decidir o seu futuro.

«Este 9N figura como uma data já inesquecível na história da Catalunha», disse Artur Mas, ainda sem que fossem conhecidos resultados da votação.

Para Artur Mas, os votantes deram «um passo de gigante» no objetivo «amplamente partilhado» de «poder decidir em algum momento, em total liberdade e com plenas garantias, o futuro» da Catalunha.

Por sua vez, o ministro da Justiça espanhol considerou que o processo de participação deste domingo na Catalunha foi uma «jornada de propaganda política», sem «qualquer tipo de validade democrática» e, por isso, «inútil e estéril».

«Este processo decorreu à margem de qualquer quadro jurídico. Os seus promotores renunciaram a qualquer aparência de neutralidade, transformados em juiz e parte do processo, nem sequer garantir a igualdade de todos os cidadãos, neste simulacro de consulta», afirmou Rafael Catalá.

«É pura propaganda, sem efeitos jurídicos, que só serviu para criar mais tensão nas relações políticas dentro e fora da Catalunha, dividindo ainda mais os espanhóis», considerou.