É um “monstro” e até já tem a hashtag de #fatberg nas redes sociais, uma combinação de gordura em inglês e icebergue. Esta massa do tamanho de três campos de futebol está a bloquear os esgotos de Londres, nomeadamente na zona este da capital, em Whitechapel.

É um verdadeiro monstro que precisa de muito trabalho, humano e de máquinas, para poder ser removido”, disse à agência Reuters o responsável pela rede de esgotos das Águas do Tamisa (Thames Water no original), Matt Rimmer.

 

Aquele que é já um dos maiores “fatbergs” da história do Reino Unido é feito, essencialmente, de gordura, óleo alimentar, fraldas e toalhitas, que não se dissolveram nas águas. Pesa, aproximadamente, o equivalente a dez autocarros de dois andares.

Os trabalhos de limpeza começaram nesta semana e consistem em fraturar a massa de gordura, através de jatos de água, para que os pedaços possam ser depois removidos.

Basicamente, é como tentar quebrar betão”, explicou Matt Rimmer, não escondendo a frustração: “São situações perfeitamente evitáveis, uma vez que são coisas que não devem ser despejadas na sanita.”

 

A última vez que os esgotos vitorianos de Londres foram “atacados” foi há cerca de quatro anos, em Kingston, mas tratava-se, então, de uma massa mais pequena.