Morreu a escritora britânica Ruth Rendell. A autora, que é considerada uma das mais notáveis do romance policial, morreu este sábado, aos 85 anos.

A sua morte foi anunciada este sábado pela editora, a Hutchison, que pediu privacidade para a família neste momento de dor.

Rendell, muitas vezes chamada de Rainha do Crime, estava internada no hospital desde janeiro, depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).

Deixa uma obra composta por mais de 60 romances, traduzida em mais de 20 línguas, incluindo um conjunto de livros dedicados ao inspetor Reginald Wexford, aquela que é, muito provavelmente, a sua personagem mais conhecida.
Também escreveu sob o pseudónimo de Barbara Vine e venceu vários prémios literários.

Recebeu o título de baronesa durante o governo do então primeiro-ministro britânico Tony Blair.

Nasceu em Londres, filha de professores e iniciou-se no jornalismo, tornando-se repórter em vários jornais regionais.
Em 1950 casou com o colega Don Rendell, de quem teve o seu primeiro e único filho. Decidiu depois abandonar a atividade jornalística para se dedicar à família, mas não deixou de escrever, antes pelo contrário, iniciando assim a sua carreira como escritora de romances policias.