O escritor moçambicano Eduardo White morreu hoje aos 50 anos no Hospital Central de Maputo, informou a Associação dos Escritores Moçambicanos (AEM).

«Condoída e profundamente combalida», a AEM divulgou um comunicado a anunciar a «morte prematura de um dos maiores talentos da literatura moçambicana» e uma «perda irreparável» para a associação.

«Eduardo White sempre se impôs como um poeta impar desde os primórdios da sua infância literária», refere o comunicado, destacando «a sua invulgar criatividade no seio dos amantes da literatura moçambicana, dos PALOP e da CPLP, onde foi agraciado com vários prémios».

Eduardo Luís de Menezes Costley-White nasceu em 1963 em Quelimane, no centro de Moçambique, pertenceu à geração literária fundadora da Revista Charrua e foi um destacado membro da AEM.

A Associação de Imprensa Moçambicana considerou-o em 2001 a figura literária do ano e a sua obra «O Libreto da Miséria» foi em 2012 o Prémio BCI de Literatura.

Um poema de Eduardo White está desde 1989 exposto no museu Val-du-Marne, em Paris.

Segundo a AEM, White estava a preparar o lançamento do seu novo livro, "Bom Dia, Dia", pela editora portuguesa Edições Esgotadas.

A causa de morte não foi divulgada.