O presidente da comissão de inquérito palestiniana sobre a morte de Yasser Arafat apontou, esta sexta-feira, Israel como o «principal e único suspeito do assassínio» do líder histórico palestiniano.

«Israel é o primeiro, o principal e único suspeito do assassínio de Yasser Arafat», afirmou Tawfiq Tiraui, numa conferência de imprensa em Ramallah, Cisjordânia, precisando que a comissão se baseou nas conclusões dos relatórios médicos suíços e russos.

Estes relatórios, elaborados com base na análise das amostras biológicas recolhidas a 27 de novembro de 2012 dos restos mortais de Arafat, permitiram concluir que o líder histórico não morreu «nem de velhice, nem de doença, mas por envenenamento», indicou Abdallah al-Bashir, chefe da equipa médica da comissão de inquérito.