Polícia britânica identificou mais uma vítima mortal do atentado em Londres, no sábado passado. Trata-se de uma enfermeira, Kirsty Boden e as autoridades revelaram um comunicado a pedido da família da jovem.

 

Recorde-se que três terroristas lançaram o medo na capital britânica com recurso a uma carrinha branca, atropelando várias peões na Ponte de Londres, e esfaqueando várias pessoas no mercado de Borough, uma zona de diversão noturna da cidade. Morreram sete pessoas e 48 ficaram feridas.

Esta terça-feira, foi revelada a identidade da segunda vítima mortal do atentado, uma enfermeira australiana, chamada Kirsty Boden, que prestava serviço no Hospital Guys e St Thomas. A família autorizou e pediu que fosse divulgado um comunicado:

Kirsty era amada e e adorada por sua família, amigos e namorado. Ela era uma pessoa extrovertida, amável e generosa, que gostava de ajudar as pessoas. Ajudar as pessoas era o que mais gostava de fazer como enfermeira, no seu dia a dia.

Ela correu em direção ao perigo para poder ajudar as pessoas que estavam na ponte. Infelizmente, Kirsty perdeu a vida. Estamos orgulhosos da suas ações corajosas, que demonstram o quão carinhosa, preocupada e heróica era. Não só naquela noite, mas em toda a sua vida. Kirsty nós amamos-te e vamos sentir muito a tua falta

Não faremos mais comentários sobre esta tragédia e pedimos a todos, especialmente aos órgãos de comunicação social, para nos dar privacidade porque precisamos de fazer o luto longe do olhar público"

Também o hospital onde Kirsty Boden trabalhava fez questão de a homenagear. Dame Eileen Sills, enfermeira chefe da unidade hospitalar afirmou:

"Não consigo traduzir por palavras o quão triste estou por termos perdido um dos nossos. Kirsty era (...) descrita pelos colegas como 'uma num milhão' e tinha sempre mais para dar aos seus pacientes. Os nossos pensamentos estão com sua família, seus entes queridos"

A primeira vítima conhecida

Chrissy Archibald foi a primeira a vítima mortal identificada. Era natural do Canadá e o seu rosto foi divulgado nos meios de comunicação social. Estava noiva e morreu nos braços daquele que amava. Estava na ponte de Londres quando foi atropelada pelos terroristas.

Das sete vítimas mortais falta, agora, conhecer cinco nomes.