O partido do presidente francês Emmanuel Macron, La République en Marche (A República em Marcha), foi o mais votado, este domingo, na primeira volta das eleições legislativas francesas. A avaliar pelos resultados deste domingo, o A República em Marcha deve eleger mais de 400 deputados já na segunda volta – 415, para se ser mais exato.

A vitória do partido de Macron, criado há menos de um ano, fica, ainda assim, marcada por níveis da abstenção históricos. A taxa de abstenção ultrapassou, este domingo, os 50%. Mais de metade dos eleitores franceses não foram votar.  

A vitória nesta primeira volta dos candidatos do partido de Macron coloca-o na posição de sair com maioria no Parlamento já no próximo domingo, quando os eleitores franceses voltarem às urnas para a segunda volta. Eleito presidente em maio, Macron necessita dessa maioria para impor o seu programa. O Parlamento francês é composto por 577 lugares e são necessários 289 para alcançar maioria absoluta.

Leia também: 

Prevê-se que Macron consiga eleger, no domingo, 415, feito que nunca se conseguiu, desde 1988, altura em que o Parlamento francês passou a ter esta constituição.

As projeções divulgadas este domingo, logo após o encerramento das urnas, apontam para uma vitória do A República em Marcha com valores acima dos 30%. De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Kanter Sofres-Onepoint, os Republicanos terão alcançado 21%, a Frente Nacional, de Marine le Pen, ter-se-á ficado pelos 13,5%, o partido França Insubmissa terá conseguido 11% e os socialistas terão conseguido 9,7%.

Os socialistas terão assim obtido o pior resultado de sempre e o antigo ministro Patrick Kanner fala mesmo em “terramoto” no seio do partido, considerando que chegou a hora de "clarificação e refundação" da esquerda democrática em França. As estimativas para o próximo domingo apontam para a eleição de 20 a 30 deputados. Em 2012, os socialistas elegeram 280.

A Frente Nacional não deverá eleger mais do que cinco deputados e nem sequer deve conseguir criar um grupo parlamentar, já que são necessários 15 eleitos para constituir uma bancada.