O FBI recomendou que Hillary Clinton não seja investigada judicialmente por ter enviado os seus emails através de um servidor privado, apesar de concluir no inquérito que a ex-secretária de Estado demonstrou “extrema negligência”.

O parecer entregue à justiça pela polícia federal norte-americana considera “que não se impõe qualquer processo” criminal, referiu aos jornalistas o chefe do FBI, James Comey, ao anunciar o fim das ultrassensíveis investigações conduzidas pelos seus serviços, e que poderiam comprometer a corrida de Hillary Clinton à Casa Branca.

Diversas mensagens de correio eletrónico enviadas por Clinton através de um servidor privado estavam classificados “secreto” e pessoas mal-intencionadas poderão teoricamente ter tido acesso, precisou o responsável do FBI. No entanto, e segundo Comey, a ex-secretária de Estado “não teve a intenção” de violar a lei.

O candidato republicano à Casa Branca e rival de Hillary Clinton já reagiu com um irónico "UAU, na rede social Twitter.