O governador norte-americano do estado da Virgínia Ocidental, Earl Ray Tomblin, declarou o estado de emergência em cinco municípios devido ao derrame de um produto químico no rio Elk.

Foi pedido aos cidadãos para não utilizarem a água canalizada para beber, cozinhar, limpar ou tomar banho.

O derrame teve origem numa fábrica de tratamento de carvão situada junto ao rio Elk na capital do estado, Charleston, que é propriedade da Freedom Industries.

O derrame do químico «4-Methylcyclohexane Methanol» contaminou uma central de abastecimento de água, obrigando as autoridades a encerrar escolas, restaurantes e bares de cinco municípios.