A Venezuela anunciou um novo plano de racionamento de energia elétrica que passa pelo corte de fornecimento doméstico durante quatro horas diárias, durante 40 dias, a partir de 25 de abril.

O ministro da Energia Elétrica, Luís Motta Dominguez, explicou que a medida poderá prolongar-se até o nível da principal barragem do país (El Guri) recuperar ou até começar a época das chuvas (finais de maio).

"Com estas quatro horas diárias, os venezuelanos vão colaborar para deter a descida do nível [de água] da Central Hidroelétrica no Guiri", explicou à televisão pública VTV, de acordo com as agências. 

Os centros comerciais e os serviços públicos já tinham recebido recomendações para reduzir o consumo de energia.

O racionamento energético é, segundo o ministro, consequência da passagem do El Niño, mas a crise tem tido várias expressões no país de Nicolas Maduro. 

A principal fábrica de cerveja do país disse que vai parar a produção por falta de matéria-prima, mas o governo acusou o administrador da Polar, Lorenzo Mendoza, de ser um aliado da oposição.