O Reino Unido pode estar a poucos dias de uma crise política de dimensões imprevisíveis. As eleições são já esta quinta-feira, mas as sondagens continuam sem avançar um vencedor com maioria.

Está instalado um cenário de impasse, e temas polémicos como a saída ou permanência na União Europeia poderão ressurgir.

Andrew Woodcock, editor de política da agência de notícias “Press Association”, acredita que este “impasse” vai trazer o “caos”, logo após as eleições.

“Vai ser o caos depois das eleições, para ser franco. Todas as sondagens apontam, não apenas para um impasse parlamentar, sem maioria absoluta para qualquer partido, mas também para que dois partidos não consigam formar uma maioria viável”, disse Andrew Woodcock à TVI.


Os eleitores culpam os políticos por esta situação. Os britânicos acusam os líderes dos partidos de se preocuparem mais com ataques pessoais, do que com o esclarecimento dos temas que mais preocupam os eleitores. Para Woodcock isto significa que muito eleitores vão tomar uma decisão baseada numa campanha “maçadora” e com “poucos discursos significativos”.

“Tem sido uma campanha muito estranha, porque apesar de haver temas muito importantes, os partidos parecem ter feito tudo o que puderam para evitar esses assuntos e fugir ao contacto com os eleitores. Para muitas pessoas, a campanha está a ser muito maçadora, sem grandes eventos e com poucos discursos significativos. Por isso, vamos tomar uma decisão fundamental com base numa campanha que não mobilizou os eleitores”.
 

Veja também: O essencial sobre as eleições no Reino Unido (infografia)