A associação que agrupa as empresas de estudos de mercado no Reino Unido anunciou esta sexta-feira a abertura de um “inquérito independente” às sondagens que previram um resultado totalmente diferente do que veio a acontecer.

Recorde-se que, até à hora de fecho das urnas, esta quinta-feira à noite, todas as sondagens apontavam para um empate entre Conservadores e Trabalhistas, mas, afinal, os primeiros conseguiram uma maioria absoluta.
 

“As últimas sondagens antes das eleições não foram, claramente, tão exatas como gostaríamos e o facto de todas terem subestimado a liderança dos Conservadores sobre os Trabalhistas sugere que os métodos que foram utilizados devem ser submetidos a uma investigação cuidadosa e independente.”


O comunicado do British Polling Council promote ainda encontrar as “causas possíveis” da “alegada distorção” e “fazer recomendações” para sondagens futuras. 

Os Conservadores conseguiram assegurar 331 lugares no parlamento britânico, mais do que suficiente para garantir a maioria absoluta a David Cameron, enquanto os Trabalhistas de Ed Miliband, que esta sexta-feira já se demitiu, se ficaram pelos 232. Ou seja, o "empate" previsto resultou numa diferença de quase 100 mandatos.