Duas sondagens reveladas esta quarta-feira, no Brasil, revelam que o candidato PSDB, Aécio Neves, está ligeiramente à frente de Dilma Rousseff na corrida para segunda volta das eleições no Brasil. Segundo os dados,da Ibope e da Datafolha, Aécio Neves consegue 51% e Dilma Rousseff consegue 49%, mas devido à margem de erro, na realidade os dois candidatos estão empatados.

A margem de erro das duas songagem é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Fora da amostra ficaram os votos brancos, nulos e os indecisos. A sondagem da Datafolha revela ainda que 15% dos eleitores decidiram o voto à última hora: 9% deciciu mesmo no dia da eleição. Ainda assim, a grande maioria, 67%, decidiu um mês antes da eleição.

A uma semana da segunda volta das eleições, Dilma apela ao povo brasilero que se lembre do trabalho realizado e Aécio Neves lembra os números da economia e diz que está na hora do Brasil sair do buraco. Na reta final, Dilma sublinha que faz chegar a 50 milhões de pobres um rendimento mensal fixo, o chamado bolsa familia. O Brasil de Dilma e Lula que tirou milhões da pobreza e criou uma classe média exigente. É essa gente que parece estara virar as costas ao PT. São eles que dizem que os brasileiros já não precisam de subsídios: querem serviços públicos, mas para isso é rpeciso pôr a economia a crescer, coisa que Dilma nã tem sido capaz de fazer e que Aécio promete fazer.

As últimas sondagens dão um empate técnico entre os dois candidatos e mostram um Brasil dividido. De um lado o nordeste pobre com Dilma, do outro, São Paulo da classe média com Aécio. De um lado, aqueles que recebem o bolsa família, do outro aqueles que não se conformam com o Brasil do súbsidio.

Dia 26 o povo decide.