O Estado Islâmico já reivindicou o duplo atentado em igrejas do Egito, este domingo. Os dois ataques, um em Tanta e outro em Alexandria, já fizeram 37 mortos e mais de 100 feridos.

De acordo com a agência noticiosa Amaq, afeta ao grupo terrorista, “um grupo que pertence ao Estado Islâmico levou a cabo os dois ataques nas igrejas das cidades de Tanta e Alexandria”.

Duas bombas explodiram esta manhã, Domingo de Ramos, em duas igrejas coptas egípcias. Em Tanta, a norte do Cairo, a explosão fez pelo menos 26 mortos e mais de 70 feridos. Em Alexandria, na Catedral de São Marcos, uma explosão fez pelo menos 11 mortos e feriu mais de 35 pessoas.

 

O Estado Islâmico já tinha avisado que iria levar a cabo ataques contra os cristãos no Egito. A ameaça veio somar-se à perseguição de que os coptas já são alvo no Egito, sobretudo desde 2011, durante o regime de Hosni Mubarak. Vários ataques foram já levados a cabo, matando dezenas de pessoas. 

    Veja também:

Os cristãos coptas são uma pequena minoria no Egito. Não são mais do que 10% dos 91 milhões de habitantes. 

As duas explosões deste domingo surgem no início da Semana Santa, uma das mais importantes para os Cristãos de todo o mundo, e poucas semanas antes da visita do Papa Francisco ao Egito e a outros países árabes.

Ainda antes da segunda explosão, o papa Francisco já tinha condenado o atentado na cidade de Tanta, ao norte do Cairo.

PR e Governo portugueses condenam ataques

O Presidente da República português enviou uma mensagem de condolências ao Presidente da República Árabe do Egito, Al-Sisi, no qual condena os “bárbaros ataques”.

Condeno veementemente estes bárbaros ataques bem como todas as manifestações de intolerância religiosa”, refere a mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no site da Presidência da República na Internet e enviada ao homólogo egípcio a partir de Cabo Verde, onde está o chefe de Estado português se encontra em visita de Estado.

 

Neste momento difícil, quero transmitir a Vossa Excelência, em meu nome e em nome do povo português, toda a solidariedade para com o povo egípcio e, de modo particular, com as famílias das vítimas a quem dirigimos, através de Vossa Excelência, os sentimentos do nosso sentido pesar", acrescenta o Presidente da República.

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, condenou também já os ataques à bomba nas duas igrejas cristãs coptas no Egito.

Em meu nome e do governo português, condeno aqui os ataques no Egipto e expresso o nosso profundo pesar pelas vítimas”, escreveu António Costa na sua conta no Twitter.

Num comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros referiu também que “o Governo Português condena firmemente os atentados que hoje causaram a morte a mais de 20 pessoas e feriram pelo menos 70 que se encontravam reunidas para celebrar o Domingo de Ramos nas igrejas coptas de Mar Gigis, em Tanta, e de São Marcos, em Alexandria, no Egito”.

O presidente francês, François Hollande, também manifestou solidariedade com o Egito, após o atentado no interior da igreja cristã copta na cidade egípcia de Tanta.

O movimento palestiniano Hamas também condenou o ataque de hoje a igreja na cidade de Tanta, a norte do Cairo.