O jornalista da Al-Jazeera Peter Greste, detido há mais de um ano no Egito, foi libertado e está a caminho de casa. Peter Greste esteve preso 400 dias, sob acusação de auxílio a grupo terrorista. Foi agora libertado, após uma campanha de sensibilização internacional.

De acordo com a Agência Reuters, que cita fontes oficiais, Peter já deixou o estabelecimento prisional e foi levado para o aeroporto. Não há notícias sobre Mohamed Fahmy e Baher Mohamed, colegas de Peter Greste, também detidos.