O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, considerou hoje que será «extremamente difícil, senão impossível» para a Escócia independente aderir à União Europeia (UE), no caso desta região britânica votar pela independência no referendo de setembro.

«Penso que será extremamente difícil, senão impossível» para uma Escócia independente integrar a União Europeia, já que a adesão de um Estado saído de um país membro da UE «tem que ser aprovado por todos os outros membros», disse Durão Barroso à cadeia de televisão BBC.

Barroso, que assegurou não querer interferir no debate sobre a independência da Escócia, considerou que conseguir o apoio de 28 países membros da UE seria «extremamente difícil, se não impossível».