Depois do jogo, o casal real esteve com a estrela do Cleveland Cavaliers, LeBron James, que no início do jogo tinha vestido uma t-shirt com a frase «Não consigo respirar».

 

A frase, com as últimas palavras de Eric Garner, tornou-se o slogan dos protestos contra a ilibação dos polícias pelas mortes de Eric Garner e Michael Brown. Nessa noite, 300 pessoas protestaram em frente ao Barclays Centre, apoiadas pela estrela do basquetebol.

 

Os duques de Cambridge foram ao Barclays Centre para assistirem, pela primeira vez, a um jogo da Associação Nacional de Basquetebol, depois de lançarem uma parceria entre a NBA e a sua Fundação Real. Segundo o jornal inglês «Express», a parceria visa utilizar estrelas do desporto para chamar a atenção para a importância da conservação da vida selvagem.

 

Dikembe Mutombo, a antiga estrela de basquetebol, Serge Ibaka e Al Horford, dos Atlanta Hawks, foram nomeados Embaixadores da Vida Selvagem. Juntaram-se, assim, a vários embaixadores do mundo do desporto, como David Beckham, Andy Murray, Lewis Hamilton e Yao Ming, a lenda da NBA.

 

Esta é a primeira visita oficial a Nova Iorque dos duques depois de casados.

A caminho da Casa Branca para se encontrar com Barack Obama, o príncipe William causou agitação num voo comercial para Washington, quando procurava o seu lugar. O episódio ficou descrito nas redes sociais. 

 

«O nosso voo estava atrasado e uma carrinha preta aproximou-se do avião. Depois, o mais inesperado convidado subiu para o avião esta manhã», escreveu um passageiro, Sam Kim, no Instagram.

 

Enquanto William esteve em Washington, a Duquesa passou o dia com crianças no Northside Centre for Child Development no bairro de Harlem, em Manhattan.

No último dia dos duques em Nova Iorque, esta terça-feira, William e Kate visitaram o Memorial do 11 de Setembro, em Manhattan. O casal real saiu do hotel onde estava hospedado, The Carlyle, e prestou homenagem àqueles que morreram no dia 11 de setembro de 2001, colocando rosas brancas, o símbolo da cidade de Nova Iorque, no Memorial.

 

Com o ramo, os duques deixaram uma nota escrita à mão: «Em memória dolorosa daqueles que morreram no dia 11 de setembro e em admiração pela coragem demonstrada para reconstruir». A nota estava assinada com os seus nomes próprios, William e Catherine.