Depois de criticar "muitas partes", Donald Trump viu-se pressionado e condenou expressamente os manifestantes de extrema-direita que protestaram em Charlottesville contra a demolição de uma estátua de um general sulista da Guerra de Secessão. Após a morte de uma mulher, atropelada por um alegado elemento neonazi, esta terça-feira, o presidente norte-americano veio também acusar os que estiveram do outro lado da confrontação.

Eles enfrentaram-se uns com os outros... foi uma coisa horrível de ver", afirmou Trump aos jornalistas falando em Nova Iorque.

O presidente norte-americano acrescentou que os manifestantes de esquerda "atacaram violentamente o outro grupo".

Na sequência dos protestos e confrontos, uma mulher de 32 anos foi atropelada por um indivíduo, que feriu ainda 19 outras pessoas quando avançou com o carro contra a multidão.

Donald Trump considerou que o condutor é uma pessoa desgraçada, para si e para o seu país.