Donald Trump está, uma vez mais, debaixo de fogo. Não por parte dos caçadores, mas dos defensores da vida animal, desde políticos, tanto democratas como do seu partido, a estrelas de Hollywood. Isto porque o presidente dos Estados Unidos tenciona reverter uma decisão de Barack Obama, que, em 2014, proibiu a entrada no país de troféus de caça de elefantes, mortos no Zimbabué ou na Zâmbia.

A notícia foi confirmada, na quarta-feira, à ABC News, por fonte oficial do governo e de imediato surgiram reações nas redes sociais.

No Twitter, por exemplo, estão a ser partilhas imagens dos filhos de Trump, Donald Jr. e Eric, junto a animais selvagens mortos, como um elefante e uma chita, caçados durante uma expedição ao Zimbabué, em 2012.

E são já várias as caras conhecidas a insurgirem-se contra o regresso dos troféus de caça, como por exemplo a filha do ex-presidente dos EUA Chelsea Clinton.

Ou a conhecida apresentadora e humorista norte-americana, Ellen DeGeneres, que disse mesmo durante um programa estar determinada a fazer algo para que esta intenção não vá avante.

Também o conhecido ator e humorista britânico Ricky Gervais está inconformado com a notícia.

Igualmente os anónimos estão determinados em unir esforços, caso deste biólogo que apela às transportadoras norte-americanas para que não permitam o transporte de troféus de caça para os Estados Unidos.

A Casa Branca reagiu, na quinta-feira, à onda de indignação, lembrando que ainda não foi tomada uma decisão nesta matéria.

"Ainda não foi feito qualquer anúncio sobre isto. E até que tal aconteça não deveríamos tomar a decisão como final", disse a porta-voz Sarah Sanders, citada pela agência Reuters.