O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou esta quarta-feira, em duas mensagens no Twitter, que "existe atualmente uma boa possibilidade" de o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, abandonar o seu programa de armas nucleares.

Ao longo de anos e de muitas administrações, toda a gente dizia que a paz e a desnuclearização da Península Coreana não tinham nem sequer uma pequena possibilidade (...) Agora há uma boa possibilidade de que Kim Jong-un faça o que é correto para o seu povo e para a humanidade. Ansioso pelo nosso encontro!", escreveu hoje Trump, no dia seguinte a um encontro, em Pequim, entre o líder norte-coreano e o Presidente da China, Xi Jinping.

Trump, que salientou ter sido informado previamente do encontro pelo presidente chinês, disse que Xi Jinping lhe relatou que a reunião "correu muito bem".

Recebi uma mensagem na noite de passada de Xi Jinping, a partir da China, sobre a sua reunião com Kim Jong-un, que correu muito bem", escreveu o Presidente americano nos seus tweets matinais.

Kim pronto para reunião

Trump relatou também relatou que o líder norte-coreano está expectante quanto ao encontro consigo, previsto eventualmente para o mês de maio.

Entretanto, ressalvou Trump, "e infelizmente, é preciso manter a todo custo o máximo de pressões e de sanções" contra a Coreia do Norte.

Após dias de algum secretismo e rumores, a China e a Coreia do Norte confirmaram esta quarta-feira que Kim Jong Un visitou Pequim e se reuniu com o presidente chinês. O líder norte-coreano viajou de comboio acompanhado da sua mulher, Ri Sol-ju.

Kim Jong Un visitou a capital chinesa desde domingo, 25 de março, até à manhã desta quarta-feira. A confirmação da viagem à China ocorreu apenas depois de o comboio que o levou de regresso ter cruzado a fronteira, cerca das 06:00 hora local (21:00 de terça-feira em Lisboa).

No encontro, Kim afirmou que a Coreia do Norte "está empenhada na desnuclearização da península, de acordo com os desejos do falecido presidente Kim Il-sung [o seu avô] e o falecido secretário-geral Kim Jong-il [seu pai]".

Trump concordou com um encontro histórico com o líder norte-coreano depois de responsáveis da Coreia do Sul terem dado conta que Kim estaria disposto a parar os testes nucleares de lançamentos de mísseis.