O braço-direito de Donald Trump, e candidato republicano à vice-presidência dos Estados Unidos, foi surpreendido com uma pergunta de um miúdo de 11 anos, presente no comício na Carolina do Norte a que atendia, na quinta-feira.

Tenho visto as notícias e reparei que, nos últimos tempos, tem suavizado as políticas e as palavras de Donald Trump. Vai ser esse o seu papel na Casa Branca?”

Mike Pence, governador do Indiana, ouviu a questão, provavelmente a mais difícil que lhe colocaram até então, sorriu, ganhou mais alguns segundos para refletir, mas não deixou Matthew Schricker sem resposta. Politicamente correta, claro.

“Sabes Matthew, nem sempre as coisas nos saem como desejamos”, começou por dizer o “vice” de Trump.

Donald Trump e eu estamos absolutamente determinados em trabalhar juntos. Temos estilos diferentes, como já devem ter reparado. Os republicanos nomearam [um candidato] maior que a vida, conhecido pelo seu carisma. Por isso, encontraram em mim alguém para equilibrar a balança”, justificou.

Sem nunca se referir a todas as gafes e controvérsias de Donald Trump, algumas que se intensificaram nos últimos dias, inclusive no seio do Partido Republicano, Mike Pence, que é governador há quatro anos e foi congressista outros 12, e um apaixonado por motas, gozou com a sua própria personalidade, brincando com um trocadilho que viu sobre uma foto sua sobre duas rodas.

Dizia: 'nascido para ser suave [Born to be mild, no original, numa referência ao Born to be wild, nascido para ser selvagem]'”.

O governador do Indiana explicou, ainda, ao jovem “com futuro político” que “as diferenças de estilo não devem ser confundidas com diferenças de convicções”. “E Donald Trump tem a visão certa para a América!”, defendeu.

Matthew Schricker gostou do que ouviu e, em declarações à CNN, disse que queria ter apenas a certeza de que Mike Pence estava na corrida à Casa Branca pelos motivos certos.

Tinha receio que ele não concordasse a 100% com Donald Trump e que estivesse a suavizar os seus pontos de vista”, justificou o rapaz, que foi ao comício acompanhado da mãe, sendo ambos fervorosos apoiantes do magnata norte-americano.