A rainha de Inglaterra está em vias de ter o rendimento quase duplicado para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). O governo britânico decidiu reforçar o orçamento de Isabel II para cobrir os custos decorrentes de obras de reabilitação durante um período de dez anos no Palácio de Buckingham, em Londres. A imprensa britânica refere que os sistemas de eletricidade, de canalização e de aquecimento do palácio estão a precisar de reparações urgentes.

De acordo com The Guardian, para a decisão do executivo britânico contribuiu também o facto de o “crown estate", que gere propriedades urbanas e rurais da monarquia, ter obtido um lucro de 328,8 milhões de libras (374,1 milhões de euros) no ano que acabou em março de 2017. O valor representou um aumento de 8% face ao mesmo período do ano passado.

O jornal britânico explica que o "sovereign grant", subsídio público atribuído à rainha, ou seja um montante pago pelos contribuintes, é calculado com base numa percentagem dos lucros registados pelos ativos da coroa. O mesmo diário acrescenta que em novembro de 2016 foi anunciado que essa percentagem iria subir, ao longo de 10 anos, de 15% para 25%, o que se deve à necessidade de avançar com "trabalhos necessários" em Buckingham, que precisará de remodelações no valor estimado de 370 milhões de libras (perto de 421 milhões de euros).

As contas mostram, portanto, que o montante dos fundos dos contribuintes quase duplicará para fazer face às despesas consideradas essenciais pela família real.

Apesar de os custos relacionados com a despesa feita pela monarquia não serem publicamente revelados devido a motivos de segurança, foi divulgado que no último ano a família real gastou 4,5 milhões de libras em viagens (5,12 milhões de euros).

Alan Reid, o tesoureiro da rainha, disse entretanto que o custo da monarquia para cada britânico em 2016 era de 65 pence, o equivalente ao valor de um selo postal.

Quando se compara isso com o que a rainha faz e representa para este país, acredito que isso representa um excelente valor para o fundo [sovereign grant]", afirmou Reid à imprensa.

A família real realizou mais de três mil compromissos oficiais em 2016, dos quais a rainha esteve em 162 e o marido, o príncipe Filipe, de 96 anos, participou 196, disse ainda o tesoureiro de Isabel II.

As sondagens de opinião mostram que a rainha de 91 anos continua muito popular entre os britânicos e, pelo menos dois terços indicam que querem a continuação da monarquia.

Por outro lado, os republicanos anti monarquia na Grã-Bretanha, dizem que o verdadeiro custo anual da realeza para os contribuintes é de centenas de milhões de libras, porque as despesas de segurança não estão incluídas, enquanto os jornais muitas vezes criticam o montante gasto em despesas da família real e em viagens menores.